O efeito Dunning-Kruger – extrema autoconfiança e falta de autorreflexão

Im_the_best

“O tolo pensa que é sábio, mas o homem sábio se reconhece um tolo”

– William Shakespeare

“O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria”

– A Biblia – Eclesiastes 7:4

“Quanto mais eu aprendo, mais eu percebo o quanto eu não sei.”

– Albert Einstein

Como é evidente das citações acima, a percepção dessa distorção cognitava não é exatamente uma ideia nova.

Em 1999, Justin Kruger e David Dunning da universidade Cornell apresentaram os resultados de uma série de experimentos realizados por eles.

Dunning e Kruger propuseram que, para uma dada habilidade, pessoas incompetentes

1. tendem a superestimar seu próprio nível de habilidade;
2. não reconhecem habilidade genuína em outros;
3. deixam de reconhecer quão extrema é sua inadequação;
4. reconhecem e aceitam a sua própria falta de habilidade anterior, se forem expostos à formação para essa habilidade.

Enquanto isso, as pessoas com verdadeira capacidade tendem a subestimar sua competência relativa.

Acho especialmente interessante a superioridade illusória mencionada no número 2. Tenho percebido isso com uma certa frequência. A falta de reconhecimento da habilidade de outros muitas vezes se apresenta com uma arrogância, julgando algo que sequer tem noção. Sem opinar sobre astrologia, uma famosa anedota envolvendo Isaac Newton pode exemplificar isso: quando o astrônomo Edmond Halley (1656-1742), de extrema fama, uma vez falou depreciativamente sobre o tema da astrologia, Newton se diz ter censurado-o com a observação: “Sir Halley, tenho estudado o assunto, você não!”

Este tipo de autoconfiança excessiva é visto frequentemente nos jovens, talvez porque eles geralmente sofreram pouco fracasso ainda. Isso não significa que “pessoas maduras” não podem sofrer deste sintoma, mas a capacidade de refletir e compreender a si mesmo geralmente cresce à medida que avançamos na vida.

Uma coisa é certa: para ter êxito em qualquer empreendimento é preciso ter o conhecimento e as habilidades necessários. O Banco Mental é uma ótima ferramenta para perseguir seus objetivos.

A diferença entre o Banco Mental e a Lei da Atração

O nosso subconsciente contém o roteiro para nossa vida. Este roteiro é o programa que define o que nós conseguimos em nossas vidas e também nossas limitações em relação ao que nós queremos agora.

Para mudar a o roteiro mais rápido, é necessário usar um estado mental que permita acesso à mente subconsciente.  Isto pode ser feito através de hipnose ou uso do método do Banco Mental.  Com outros métodos temos que repetir visualizações e afirmações milhares de vezes.

No fim dos anos sessenta o Dr. John Kappas definiu os três tipos de sugestibilidade, que mudou o mundo da Hipnoterapia. O entendimento de sugestibilidade possibilita elaboração de SUGESTÕES (= AFIRMAÇÕES) que funcionam melhor para cada pessoa.

Grande parte das pessoas não conseguem visualizar da forma descrita em “O Segredo” e não podem, portanto, usar este método para obter o que desejam. Esta falta de capacidade de visualizar é devido a sua sugestibilidade.

O Banco Mental é um metodo claro e simples que só requer 3-5 minutos por dia.

Veja a tabela comparando “O Banco Mental” com cursos sobre “a Lei de Atração” e/ou “O Segredo”

tabela_diferença

Venha fazer o próximo workshop do Banco Mental.

Compre o seu ticket para o próximo workshop: http://loja.baixehipnose.com.br/o-banco-mental.html